Quando é tempo?

quando-eh-tempo

 

Esse texto é uma provocação à reflexão… Não tente encontrar nele verdades absolutamente completas, mas abra-se à reflexão.

Quando é tempo de amar? Quando é tempo de namorar? Quando é tempo de noivar? Quando é tempo de casar? Quantas perguntas às vezes nos fazemos. Mas cada pergunta deve ter sua resposta. Algo que satisfaça a curiosidade e atenda à necessidade de providências, que acalme a ansiedade, que possa sugerir caminhos.

Sempre é tempo de amar. Na verdade, nascemos amando, nem sempre sendo amados. Na maioria das vezes somos amados, sim. E esse primeiro amor, visceral, rudimentar, instintivo e direcionado à quem cuida de nós se aperfeiçoa ao longo da vida. E vamos vivenciando esse sentimento em diversas direções: parentes, amigos, aquela pessoa especial… Sempre é tempo de amar, basta querer, se esforçar, desejar sentir, não fechar-se por tantos motivos que a vida. Pois quem tem a capacidade de amar, algumas vezes sofre por causa do sentimento. Mas que não tem medo de sofrer, quem deseja arriscar e viver a plenitude de seu ser, ama. Sempre é tempo de amar.

O tempo de namorar chega quando temos algumas certezas: de que temos uma noção sobre quem somos, o que queremos e como caminhamos. Chega quando se está em uma fase em que as descobertas são mais maduras, quando temos a capacidade de assumir aquilo que fazemos e, principalmente, quando temos condições de assumir as vantagens e desvantagens de sentir por outra pessoa algo que desejamos saber se é amor. É tempo de namorar quando se está pronto para experimentar gostar profundamente de alguém, sabendo que a outra pessoa nem sempre pode estar na mesma sintonia. Namora-se para sempre, mesmo que se tenha encontrado a pessoa certa, porque sempre estaremos em busca de saber totalmente quem somos, o que queremos, por onde caminhamos e quem anda conosco.

O tempo de noivar chega. Passa depressa, porque é etapa de um namorar que não termina.

O tempo de casar chega quando o namoro é profundo. Quando as mãos entrelaçam-se e manifestam a capacidade de duas pessoas entrelaçarem por completo. Quando as mãos entrelaçadas sugerem que a força de viver motiva-se pela outra pessoa e ao mesmo tempo exige uma alteridade que façam ambos crescer, porque não há amor entre duas pessoas que não necessite de um crescimento individual. É tempo de casar quando o crescimento individual pauta-se pelo objetivo comum. E isso também é amar.

Se olharmos nossa vida pela ótica do amor, poderemos encontrar os tempos certos para vivermos um amor de casar.

Amor, Casamento, Namoro, Noivado, Relacionar-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *